Centro de Pesquisas

Durante estes 13 anos, ele vêm se firmando, no cenário cultural sul mineiro, como Casa da Preservação de Memória e sobretudo, como Centro de Pesquisas Históricas. Através de seu rico acervo tridimensional, diversos pesquisadores têm tomado contado direto com peças e documentos do passado, fato que gera pesquisas significativas e relevantes não só ao meio acadêmico, mas como informação à sociedade local.

Para citar um exemplo de boa parceria, foi a ocorrida entre Museu Municipal de Varginha e Faceca – Faculdade Cenecista de Varginha que resultou na produção de dois dossiês e um livro sobre o trabalho do empreendedorismo no comércio local. O livro intitulado: “História que fazem a História – Pioneirismo Empresarial em Varginha-MG” (2004), produzido pela jornalista e professora universitária, Aparecida Maria Nunes, em colaboração com outros pesquisadores, apresenta uma reflexão histórica Museu Municipal, sobre o pioneirismo e gestão empresarial na “Princesa do Sul”, nos últimos 100 anos.

Importante parceria ocorreu com a aproximação dos alunos e professores da UNIFAL (Universidade Federal de Alfenas – unidade Varginha MG) com o projeto de extensão, que veio capitanear algumas das ações museais, coletando dados, organizando arquivos e catalogando-os, além de iniciar a digitalização das atas da cidade desde a sua criação.

Outra obra significativa, fruto do mesmo tipo de parceria, é o livro “Tráfico de Escravos no Município de Varginha – entre 1884 e 1887”, do escritor e historiador José Roberto Sales, lançado em evento cultural, no andar superior do Museu Municipal em 13 de abril de 2009. “Trata-se de uma pesquisa relevante ao setor cultural-histórico, pois resgata valores, costumes, tradições e faz um raio-x no tratamento dispensado aos escravos africanos, que trabalharam arduamente nas lavouras de café da cidade no século passado. É um tipo de informação imprescindível ao jovem estudante da cidade”, analisa Cláudio Henrique Martins, ex-diretor do Museu Municipal de Varginha.

Martins complementa a reflexão anterior, quando faz uma análise sobre as parcerias do Museu nos últimos doze anos. “Os nossos parceiros culturais, a partir do momento, que abrimos as portas à visitação pública, tornaram-se pilares ao nosso trabalho museau. Sejam eles: doadores de objetos históricos, colaboradores nos informativos impressos e até os pesquisadores, acabaram por transformar o Museu Municipal num centro de pesquisas históricas, além de ser uma casa de resgate da memória varginhense e sul mineira. Ao atingirmos treze anos de trabalhos ininterruptos, causa-nos um sentimento de satisfação pelas realizações e ao mesmo tempo, um desafio quanto ao futuro que desejamos imprimir. Por isso, os parceiros sempre serão importantes ao Museu”.