História do Museu

Inaugurado em 26 de abril de 2000, na administração do Prefeito Antônio Silva – o Museu Municipal de Varginha – vêm se constituindo, num laboratório de pesquisa e numa instituição de prestação de serviços. Comporta exposições e oficinas que pretendem levar ao público informação, cultura e aprendizado adicionais que possam pesar, positivamente, no currículo pessoal de quem toma contato com nosso trabalho.

O Museu Municipal de Varginha é um centro da Memória local e regional, onde o compromisso consiste em oferecer ao educador e educando, um outro ângulo de apreensão das questões pedagógicas, saturadas de historicidade. Dois aspectos merecem destaque especial em nosso trabalho desenvolvido: a especificidade do acervo e o tratamento a ele dispensado.

Nosso serviço é dedicado à recuperação e preservação da memória histórica, num projeto que tem “olhos” voltados ao futuro. O Museu M. de Varginha valoriza os objetos do cotidiano, com a função de garantir às gerações futuras, acesso a gênese e ao histórico geral de nossa cidade e de personalidades importantes de nosso povo.

O acervo hoje, composto por discos, moedas, utensílios domésticos, documentos, fotografias, aparelhos eletro – eletrônicos e outros, conta com mais de 7 mil peças. Parte do acervo estão expostas, e outra, acondicionada numa reserva técnica e sala de pesquisa. Arquivos sobre a imagem e o som, no primeiro andar, mostra através de fitas de vídeo, áudio, fotografias, livros, jornais e impressos, a preciosidade de nossa história.

Destinado à manutenção do interesse pelo cultura, um espaço para recepção de exposições diversificadas e itinerantes, vem se tornando cada vez mais, uma opção interessante tanto para a administração do Museu M. de Varginha, quanto ao público visitante.

Desde a abertura do Museu, diversas atividades foram implementadas: oficinas de culinária, restauração e conservação de documentos históricos, concurso de fotografias e exposições sobre temas variados. O Museu, pretende conquistar muito mais espaço, na área cultural de Varginha e região Sul de Minas de Gerais. Para isso, conta com a sensibilidade e participação da população, com o intuito de que nossa história, não fique somente no passado e sirva de base para construção do futuro.

A idéia de se montar um museu em Varginha é desejo antigo. Porém, num esforço conjunto entre a Prefeitura Municipal de Varginha e o CODEPAC, sob a coordenação de Cláudio Henrique Martins e de pessoas que engajadas na perpetuação de nossa História, emprestaram ou doaram peças, aos 26 dias do mês de abril do ano 2000 – o Museu Municipal de Varginha – tornou-se uma realidade.

A parte térrea abriga o espaço de peças permanentes. São mais de duas mil peças, na composição do acervo histórico (equipamentos de áudio e vídeo, moedas, utensílios domésticos e instrumentos de trabalho) que podem ser observadas por visitantes.

O primeiro andar reúne setores administrativos do Museu Municipal, sanitários, cozinha, sala de pesquisa, salão para o recebimento de exposições temporárias e a Sala Silvio Brito, que abriga e mostra o acervo do cantor. Desde a inauguração já foram apresentadas 30 exposições temáticas e históricas. Entre elas as exposições “Brasil 500 Anos” (mostra de objetos indígenas, fósseis, utensílios domésticos), “Vestimentas do século XX” (roupas e acessórios do vestuário brasileiro, italiano e francês, do período compreendido entre 1900 e 2000) e “2ª Guerra Mundial” (acervo de objetos pessoais de ex-pracinhas brasileiros que inclui fotografias, medalhas, armas brancas e de fogo, livros, fardas, munições para armamento, grande parte desse material utilizado na defesa do mundo contra os nazistas), receberam um público visitante superior à três mil pessoas.

O trabalho de preservação histórica é gratificante, a partir do momento, que a comunidade compreende o intuito da ação e atua de forma participativa, no resgate dos fatos da nossa história. O Museu arquiva modos de vida que se fixam nas peças e se perpetuam. Graças aos museus, ainda hoje se conhecem ou podem estudar, diversas manifestações culturais, cujos os traços foram salvos e permanecerão por várias eras, como espelhos do passado.

“Não há como negar o interesse do Museu como instrumento de aprendizagem, através de estímulos de ensino – mais práticos e menos verbalizados – com benefícios à educação. A criança apreende melhor visualizando objetos ao vivo. Isso, transmite conceito de realidade, concreto, diferenciado da noção sugerida apenas em sala de aula” (Saul Martins)

Nosso trabalho no Museu Municipal de Varginha é caracterizado pela honestidade no interesse do resgate, preservação histórica de nossa cidade e região Sul Mineira. São costumes, objetos, vestimentas e relíquias que registram fatos importantes ocorridos num passado não muito distante da atualidade. Ao tomarmos contato com o ofício da pesquisa e preservação da história de Varginha, seu povo e hábitos, descobrimos um “velho–mundo–novo” ” recheado” de situações, personagens e objetos que exprimem pela configuração inerentes à eles, riqueza de detalhes e alto valor imaterial.

Uma cultura material, como nos ensina a Sociologia, não sobrevive sozinha. Necessita de uma carga de imaterialidade que lhe dê sentido prático e funcional para um determinada comunidade humana. Quanto mais pesquisamos peças e personalidades, maior é nosso interesse pelo assunto e pelo desejo de tornar acessível ao público, toda essa riqueza cultural.