Agenda, Quinta da Boa Música | 17.07.17

Compasso Lunnar e Fredera no Quinta da Boa Música

Uma nova música sul-mineira, autoral e contemporânea, marcada por influências da MPB do rock progressivo e do jazz

 

A Fundação Cultural de Varginha confirma a 275ª edição do Projeto Quinta da Boa Música, no dia 20/07/17, às 20h, na plataforma de embarque da antiga Estação Ferroviária de Varginha, apresentando pela primeira vez a Banda Compasso Lunar com a participação especial do lendário Guitarrista Fredera.

A Banda:

O Compasso Lunnar apresenta em seu show uma nova música sul-mineira, autoral e contemporânea, marcada por influências da MPB – especialmente pelos teores do Clube da Esquina – do rock progressivo e do jazz, nacional e internacional, resultando em surpreendente combinação. As aparições do grupo incluem o lançamento do primeiro disco de Ismael Tiso, Ventos do Sul, e o primeiro clipe da banda (Molhou/Lampejo), além de contar com a participação especial do lendário guitarrista Fredera, do Som Imaginário.

O grupo mineiro é composto por Clayton Prósperi (piano e vocal), Fernando Marchetti (bateria e vocal), Ismael Tiso (guitarra, violão e vocal) e Paulo Tutuca (baixo e vocal).

O Compasso Lunnar, apesar de ter como berço a cidade de Três Pontas, teve seu show de estreia realizado no Sesc Palladium, em Belo Horizonte, em maio de 2016, com a participação especial do lendário guitarrista do Som Imaginário, Fredera. Também se apresentou no Dia D (aniversário da cidade de Três Pontas) para mais de 5.000 pessoas, no festival FAISCA (UNIFAL Alfenas/MG), além de casas de shows de Minas Gerais e São Paulo. O clipe oficial da banda tem mais de 2000 visualizações no YouTube e foi televisionado por canal especializado na França e Bélgica.

Com harmonia visceral, músicos completos e melodias que desenham nossas montanhas, o Compasso Lunnar apresenta o que há de mais belo em terras mineiras.

Os músicos:

Clayton Prósperi é pianista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais. Participou de diversos Festivais de música em Minas e em São Paulo como o Festival Nacional da Canção onde obteve diversas premiações como compositor e arranjador, e também na primeira edição do Prêmio Visa, em 2003, dedicada a compositores, onde foi semifinalista ao lado de Dante Ozzeti, Jorge Versilo, Juares Moreira, Sérgio Santos e Simone Guimarães. Atuou junto a grandes nomes como Toninho Horta, Fredera, e Milton Nascimento, com o qual participou em shows com o grupo Ânima Minas em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Participou do programa da rede Globo “Altas Horas” em edição especial de aniversário do apresentador ao lado de Milton Nascimento, com quem também participou do DVD “Pietá” ao lado de Lenine, Elder Costa e demais músicos trespontanos. Participou tocando acordeon, flauta e piano na gravação do DVD acústico do grupo Tuatha de Danann no Centro Cultural de São Paulo, e atualmente participou na gravação do novo CD de Milton Nascimento, “…e a gente sonhando”, como instrumentista, vocalista e compositor, tendo sua canção em parceria com Haroldo Júnior, “Eu Pescador”, gravada na voz de Milton acompanhado de Wagner Tiso.

Ismael Tiso é guitarrista formado pelo Conservatório de Tatuí/SP, com licenciatura pela UNINCOR/MG. Sua primeira experiência profissional se deu na primeira formação da maior banda cover de Pink Floyd do Brasil, “UMMAGUMMA – The Brazilian Pink Floyd”. Em 2004, a convite de Milton Nascimento e Lenine, gravou a faixa bônus “Paciência” do DVD “Pietá”. Os trabalhos com Milton se estenderiam até 2012, com a turnê do álbum “…e a gente sonhando” onde participou ativamente da produção e das gravações, projeto que ainda consagraria Ismael como compositor, uma vez que sua música “Do Samba, do Jazz, do Menino e do Bueiro” fora incluída no disco e na turnê. Participou também de grandes festivais como o Festival Nacional da Canção (Boa Esperança), Festival Certame da Canção (Tatuí) e Fampop (Avaré). Em 2016 lançou seu primeiro trabalho autoral solo, o CD “Ventos do Sul”, onde colocou a prova toda experiência adquirida ao longo dos anos, sendo o produtor e  gravando a maioria dos instrumentos em todas as faixas.

Fernando Marchetti é compositor e multi-instrumentista, formado pelo UNIS; Baterista da grande banda Ummagumma Pink Floyd Cover por 11 anos e do grupo Ânima Minas. Também participou de várias gravações de shows e CDs com artistas importantes da música brasileira, e se destaca por sua atuação no último disco de Milton Nascimento, “…e a gente sonhando”, onde ficou em turnê por aproximadamente 2 anos.

Paulo Tutuca é músico profissional há 10 anos, vocalista do Quarteto Sentinela com dois CD’s gravados, e atuou como cantor no CD “…e a gente sonhando”, dividindo solo vocal em “Amor do céu, amor do mar” com Milton Nascimento. Muito presente na cena mineira, atua fortemente em Belo Horizonte onde participou de shows ao lado de Toninho Horta (“As Cores do Clube da Esquina”, no Teatro Bradesco), Tavito, Tadeu Franco, Beto Lopes (“Festa da Música”, na Praça do Papa), Marilton Borges, Bárbara Barcellos, Rodrigo Borges, Gabriel Guedes, dentre outros, além de vários outros projetos incluindo “Olhai os Líricos dos Cantos” de Omar Fontes e Gildes Bezerra. A aproximação desses músicos se deu durante as gravações e turnê do “…e a gente sonhando”, de Milton Nascimento – em que os quatro músicos participaram como instrumentistas, cantores solo, e como parte do coro – álbum que concorreu ao Grammy Latino de 2011.

O Compasso Lunnar vem tido à honra de contar com a participação mais que especial do lendário guitarrista Fredera.  Frederico Mendonça de Oliveira é um dos maiores nomes de seu instrumento. Além de instrumentista e compositor, também atuou como artista plástico, jornalista e pesquisador. Nascido do Rio em 1945, Fredera cresceu escutando rádio e teve formação fundamental a partir da discoteca da família. Entre o jazz e a música clássica, moldou-se para a música “moderna”. Na década de 70 integrou a lendária banda Som Imaginário como guitarrista solo, e com ela acompanhou Milton Nascimento e Gal Costa. Mudando-se para Belo Horizonte, fez parte da turma que ficou conhecida mundialmente como Clube da Esquina. Mais tarde, de volta ao Rio, acompanhou (lançou) Raul Seixas, Gilberto Gil, formou grupo com Rosinha de Valença, participou do lançamento de Fafá de Belém, depois trabalhou com Ivan Lins e encerrou sua carreira como acompanhante ao lado de Gonzaguinha. Trabalhou com Caetano Veloso, Marcos Vale, Lô Borges, Beto Guedes, Paulo Moura, dirigiu o grupo Impacto 8, ao lado do líder Raul de Souza, trombonista. Autodidata, aprendeu a escrever música em 10 dias, pouco antes de entrar em estúdio para gravar seu primeiro LP solo em 1981, “Aurora vermelha” – disco ganhador do maior número de premiações dentro das fronteiras da música instrumental brasileira. Em 1984 mudou-se para Alfenas, no sul de Minas, para se dedicar à pintura, mas o apelo musical o fez retornar aos palcos e gravar ao vivo, em 1997, no Centro Cultural Banco do Brasil, o disco “Fredera e Nenê”, dividindo o disco com o admirável baterista gaúcho – e as duas noites de gravação com o violonista Paulinho Nogueira, a quem tinha como mestre. Em 2013 iniciou as gravações de seu último disco, “Balada a um Anjo na Terra – Iris Blues”, agora em sua fase final – contando também com a participação do Compasso Lunnar. Além disso, Fredera prossegue tocando a Oficina de Guitarra e Baixo, preparando novos talentos em Alfenas, e de onde formou a Camerata Deodato com seus alunos/pesquisadores, fazendo um apanhado de arranjos do maestro Eumir Deodato para o disco Inútil Paisagem, com que o jovem arranjador carioca deixou uma lição de grande valia musical abordando com sua visão de maestro as composições de Antônio Carlos Jobim.

O Projeto QBM:

O Projeto Quinta da Boa Música já no oitavo ano e na 275ª edição, foi criado em 2009 com a finalidade única de incentivar, apoiar e valorizar a produção musical na cidade e criar intercâmbios com grupos da região, do estado e de todo o País. Através da parceria com músicos e bandas que espontaneamente participam do projeto promove-se junto ao público de todas as idades e sem distinção qualquer, a oportunidade de laser, de entretenimento cultural, proporcionando ainda o acesso livre e gratuito aos bens culturais da cidade, ocupando o importante e histórico espaço cultural que é o conjunto arquitetônico da antiga Estação Ferroviária de Varginha, hoje tombado pelo Conselho do Patrimônio Cultural e mantido pela Fundação Cultural de Varginha.

O Projeto “QBM” é uma realização da Prefeitura de Varginha por meio da Fundação Cultural e conta com o apoio da Tribos SA, Espaço Livre, Uaiclick, Policia Militar, Guarda Civil Municipal e de toda imprensa da região. Nesta edição contamos com o apoio especial da Produtora Raabe Andrade.

As bandas interessadas em participar do projeto deverão, inicialmente, solicitar o cadastramento no SISTEMA MUNICIPAL DE CULTURA, pessoalmente ou por e-mail, de segunda a sexta, no horário comercial na sede administrativa da Fundação Cultural na antiga Estação Ferroviária de Varginha, na Praça Matheus Tavares, 121, centro, telefone (35) 3690 2700.

Mais informações na Coordenadoria de Eventos com o Produtor Rosildo Beltrão pelo telefone (35) 3690 2708, ou pelo e-mail: [email protected]

Maiores detalhes: www.varginhacultural.com.br – https://www.facebook.com/QuintaDaBoaMusicaEmVarginha

Links da banda:

https://www.facebook.com/compassolunnar/

contato com a produtora da banda Raabe Andrade: (22) 9 9912 8129