Crianças se divertem no Museu Municipal com a peça “Chaves e a fábrica de papel”

A diversão tomou conta do Museu Municipal de Varginha na tarde deste domingo (10/03). Dezenas de crianças assistiram à peça “Chaves e a fábrica de papel”, encenada em duas sessões e que faz parte do projeto “Visite o Museu no Primeiro Domingo do Mês”. A iniciativa da Prefeitura de Varginha, por meio da Fundação Cultural.

A peça mostrou o encontro de Girafinho, um vendedor de papel, com um menino chamado Chaves, que não tinha como comprar muitos brinquedos para se divertir. Vendo a tristeza da criança em não ter com o que brincar, o vendedor começou a despertar a imaginação dele com algumas folhas de papel.

De acordo com Apoliano Rios, diretor do Museu Municipal, foi um momento de muita descontração e também de aprendizado. O diretor contou que muitos pais saíram do Museu e sentaram com os filhos na praça para fazer aviões de papel. “As crianças perceberam que não precisam dos presentes mais caros. Basta apenas uma folha de papel e a criatividade para elas se divertirem”, afirmou Apoliano.

A peça foi escrita por Lauro Cezar Santiago Sarto que também fez o papel de Girafinho. O menino Chaves foi encenado por Sebastião Leopoldino, que é bastante conhecido por fazer o mesmo personagem no Zoológico. A direção foi de Kássio Vítor e Luan Possi.

O 47 Grupo Escoteiro Raios do Sol levou 22 ‘lobinhos”, crianças entre 7 e 10 anos, para participar. “A interação dos atores com as crianças foi muito legal. Eles se divertiram bastante e já estão ansiosos para o próximo”, relata Lilia Maria Carvalho, chefe do raio lobinho.

Os pais já podem se preparar, pois no domingo, dia 07 de abril, o Museu vai apresentar a peça “Sansão, um Sol Trapalhão”, inspirada no livro com o mesmo nome da escritora Malu Silva. O espetáculo marca a abertura oficial em comemoração ao Dia do Livro Infantil. “O projeto ‘Visite o Museu no Primeiro Domingo do Mês’ é um sucesso! É uma grande satisfação vermos as crianças pelos corredores para assistir ao teatro e conhecer a história da nossa cidade em nosso acervo”, destaca Lindon Lopes, diretor-superintendente da Fundação Cultural.