Fundação Cultural lança livro com crônicas de Nico Vidal

A Prefeitura de Varginha, por meio da Fundação Cultural, lança nesta quarta-feira (16/06), às 14h, o livro “Varginha: narrativas de Nico Vidal”, uma coletânea de textos publicados em jornais por Nico Vidal, importante cronista e memorialista varginhense. Devido à pandemia da Covid-19, o lançamento será restrito a autoridades e familiares, mas será transmitido pelas redes sociais da Fundação Cultural em YouTube.com/VarginhaCultural e em Facebook.com/VarginhaCultural.

O livro possui 260 páginas e conta com revisão e organização do jornalista Marcus Madeira, editor de textos da Fundação Cultural. “O leitor vai conhecer uma Varginha inóspita, sem celular, televisão, asfalto nem carros (só carros de boi). Sem nenhum poste de iluminação. Vai conhecer figuras que enriqueceram, que deixaram sua marca na história pelo altruísmo ou pelo espírito brincalhão. Vai conhecer perigos que existiram – parecidos com histórias de faroeste. Até o lendário Sete Orelhas frequentou o Bar do Perpétua, na Rua Delfim Moreira”, destaca Marcus Madeira. O livro será disponibilizado na íntegra após o lançamento no site www.varginhacultural.com.br.

Antônio Vidal de Carvalho, o Nico Vidal.

Antônio Vidal de Carvalho nasceu em 28 de novembro de 1911 e faleceu no dia 06 de janeiro de 2011. Era conhecido como o “homem que carregava a história”. Foi tipógrafo no Jornal Arauto do Sul, contador, escritor e vereador. Sempre disposto a receber as pessoas e contar inúmeras curiosidades sobre Varginha, foi acumulando, ao longo de seus 99 anos, centenas de fotos, documentos, livros e jornais que retratam e descrevem períodos importantes da história de Varginha.

“Como diretor-superintendente da Fundação Cultural para a gestão 2021-2024, honra-me, sobremaneira, apresentar aos leitores esta obra histórica, não ficcional, que trata da realidade desta cidade, das suas raízes mais profundas, sob o olhar de um contador de histórias, no seu sentido mais arraigado do mineiro da velha guarda que foi o Sr. Nico Vidal”, ressalta Marquinho Benfica, diretor-superintendente da Fundação Cultural.

Todo o acervo de fotografias de Nico Vidal foi doado à Fundação Cultural em 14 de fevereiro de 2017 no Museu Municipal e, atualmente, compõe o Centro de Documentação Histórica da Fundação Cultural criado especialmente para armazenar tamanha riqueza histórica e cultural.

Capa do livro em de que está em destaque a máquina de escrever usada por Nico Vidal, uma Olivetti Lexikon 80.

Deixe um comentário