Museu Municipal de Varginha promove encontro virtual que integra a Semana Nacional de Museus

Com o tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, o Museu Municipal de Varginha integra na próxima quarta-feira (19/05) a programação da 19ª Semana Nacional dos Museus. O encontro virtual será transmitido a partir das 14h pelas redes sociais da Fundação Cultural de Varginha em Facebook.com/VarginhaCultural e pelo YouTube.com/VarginhaCultural.

Participam da mesa redonda virtual Adriana Polez, membro do Comitê Gestor do Sistema Estadual de Museus de Minas Gerais; Bárbara Mançanares, historiadora pela UFOP e mestre em Museologia e Patrimônio pela UNIRIO; e Thaís Carvalho, bacharel em Artes Visuais e Conservação – Restauração de Bens Móveis pela UFMG.

O encontro contará com a abertura feita pelo diretor do Museu Municipal de Varginha, Lindon Lopes, e será conduzido pelo jornalista Agnaldo Montesso, que atua na Assessoria de Comunicação da Fundação Cultural de Varginha.

O tema que norteia cada edição da Semana Nacional de Museus é aquele escolhido pelo ICOM (Conselho Internacional de Museus) para a comemoração do Dia Internacional de Museus (18 de maio) e visa fomentar as discussões do campo museal e inspirar os eventos propostos pelas instituições.

De acordo com o diretor do Museu Municipal, Lindon Lopes, “esse ano o tema escolhido propõe a reflexão sobre o futuro dos museus e isso não significa apenas dialogar com os avanços tecnológicos e os recursos e ferramentas deles advindos, mas também compreender como afetam a maneira de ser e de estar no mundo”.

Perfil das convidadas

Adriana Beatriz de Oliveira Polez Rocha: professora graduada Educação Artística e Artes Plásticas /UNAERP, pós-graduada em Mídias na Educação / UFOP, Presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Passos, representante regional RI Varginha do Comitê Gestor do Sistema Estadual de Museus de Minas Gerais SEMMG/SECULT.

Bárbara Mançanares: nasceu em Alfenas e cresceu nas ruralidades de Paraguaçu, Minas Gerais. É poeta, bordadeira e integrante da Academia Paraguaçuense de Letras. Graduada em História (Universidade Federal de Ouro Preto) e mestra em Museologia e Patrimônio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), inscreve com as linhas e as letras o que suspeita no mundo. Atuou como Diretora de Patrimônio e Museologia na AME Cultura entre 2014 e 2020, realizando pesquisas na área de patrimônio cultural no sul de Minas. Em 2020, foi selecionada na convocatória “Novos Pesquisadores”, do Memorial Minas Gerais Vale, tendo sua pesquisa de mestrado transformada em exposição na referida instituição. É autora do livro Maio (Quintal Edições, 2018), Cartografias do corpo que canta (Editora Patuá, 2021), e possui poemas publicados em antologias e coletâneas – Antologia Ruínas (Editora Patuá, 2020) e Tomar Corpo (Editora Jandaíra, 2021).

Thaís Carvalho: bacharel em Artes Visuais e Conservação-Restauração de Bens Móveis pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Como restauradora trabalhou em diversos projetos para instituições públicas, privadas, galerias de Arte e antiquários como: a Biblioteca e Arquivo Público de BH, Cecor/UFMG, Museu de Artes e Ofícios, Inhotim; Galerias Firenze, Celma Albuquerque e Rugendas. Atualmente atua em ateliê próprio restaurando principalmente pinturas de cavalete e esculturas sacras.

Deixe uma resposta