Institucional | 03.09.18

Notas sobre o incêndio no Museu Nacional

NOTA DA FUNDAÇÃO CULTURAL E DO MUSEU MUNICIPAL DE VARGINHA

“A Fundação Cultural de Varginha e o Museu Municipal estão consternados com o incêndio que atingiu o Museu Nacional na noite deste domingo (02/09). As chamas destruíram 200 anos de história, da mais antiga instituição científica brasileira, com um acervo composto por cerca de 20 milhões de itens. O edifício é tombado pelo patrimônio histórico e foi residência da família Real e Imperial brasileira. É uma perda inestimável e irreparável para a história e memória do nosso país”.

Leandro Acayaba, diretor superintendente da Fundação Cultural e Lindon Lopes, diretor do Museu Municipal.

 

NOTA DA ACADEMIA VARGINHENSE DE LETRAS, ARTES E CIÊNCIAS

“A Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências (AVLAC) acompanhou, ontem, dia 02 de setembro, estarrecida e com grande pesar, o lamentável sinistro que destruiu, por meio de um incêndio, o histórico edifício do Museu Nacional, localizado na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro. O Museu Nacional foi fundado por D. João VI, em 06 de junho de 1818, tendo completado 200 anos este ano. Foi perdida a maior parte do seu variado, raro, rico e valioso acervo de objetos relacionados à cultura e à história universal e brasileira. O prejuízo patrimonial, histórico, cultural, museológico, educacional, artístico e social é incalculável e, sem dúvida alguma, representa uma das maiores perdas para a cultura nacional desde o Descobrimento do Brasil.
Em dezembro de 2015, a Academia também acompanhou, com a mesma perplexidade e tristeza, o incêndio no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, que, felizmente, encontra-se em fase final de restauração e deverá ser reaberto ao público em 2019.
Os referidos incêndios destruíram objetos simbólicos da nação brasileira (edificações e acervos) relacionados à nossa história, identidade cultural, cidadania, dignidade e autoestima.
O incêndio no Museu Nacional é apenas mais um caso que revela a falta da priorização da cultura e da educação pelos nossos políticos e gestores públicos. Na sequência, o que mais podemos esperar como tragédia anunciada? Um incêndio na Biblioteca Nacional?
Trágico e triste dia para o Brasil e para os brasileiros!
É urgente a elaboração de uma política pública do patrimônio histórico brasileiro e sua efetiva implantação.
A Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências está de luto!”

José Roberto Sales, presidente da AVLAC.