Agenda, Estação Ferroviária | 17.04.18

Projeto Estação do Samba retorna nesta sexta

A Fundação Cultural de Varginha confirma para esta sexta (20), às 20h, na antiga Estação Ferroviária de Varginha, a 12ª edição do Projeto Estação do Samba, com o Grupo Roda de Samba da Escola Império da Serrinha e a participação de diversos convidados prestando uma justa e oportuna homenagem à Rainha do Samba no Brasil dona Ivone Lara.

No repertório, como sempre, uma seleção de clássicos do samba de nomes consagrados como Bete Carvalho, Zeca Pagodinho, Roberto Ribeiro, Candeia, Noel Rosa, Cartola, Paulinho da Viola, Demônios da Garoa, Adoniram Barbosa, Fundo de Quintal, Benito de Paula, Agepê, Bezerra de Silva, Diogo Nogueira, e muito mais.

E nesta semana, além do costumeiro repertório, uma justa homenagem a Dona Ivone Lara, falecida no último dia 16 de abril no Rio de Janeiro, com seus 97 anos, considerada pela crítica a “Rainha do Samba no Brasil”.

Um pouco da dona Ivone Lara
Nascida em 13 de abril de 1921, no Rio de Janeiro, dona Ivone Lara compôs seu primeiro samba aos 12 anos, “Tiê, tiê”, depois de ganhar de seus primos um pássaro da espécie tiê.
Aprendeu a tocar cavaquinho com o tio Dionísio Bento da Silva, que tocava violão de sete cordas e integrava o grupo de chorões que reunia Pixinguinha e Donga. Sua primeira escola de samba foi a Prazer da Serrinha, que começou a frequentar em 1945 e para quem compunha sambas que eram assinados pelo seu primo Fuleiro, devido ao preconceito contra as mulheres que existia nas agremiações naquela época.
Enfermeira e assistente social, trabalhou com pacientes que tinham doença mental. Ingressou na Império Serrano em 1965 e gravou seu primeiro disco, “Samba minha verdade, samba minha raiz”, em 1974. Ao se aposentar da área da saúde em 1977, passou a se dedicar integralmente à música. Entre os intérpretes que gravaram suas composições destacam-se Clara Nunes, Roberto Ribeiro, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paula Toller, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Mariene de Castro, Roberta Sá, Marisa Monte dentre outros.
Entre suas composições mais conhecidas estão “Sonho Meu” (música que estourou nas paradas de sucesso com Maria Bethânia e Gal Costa) e “Acreditar”, ambos em parceria com Délcio Carvalho. “Alguém Me Avisou”, também outro grande sucesso da compositora.

Segundo o colunista Mauro Ferreira, Dona Ivone Lara morreu aos 96 anos e não aos 97 anos, como informam quase todas as fontes, pois nasceu em 1922, não em 1921. A data de 1921 foi forjada pela mãe da artista em 1932 para que ela pudesse ser admitida em colégio interno, cuja idade mínima para o ingresso era 11 anos. O ano de 1921 passou a constar até nos documentos de Ivone, mas ela nasceu de fato em 13 de abril de 1922. Essa questão já foi esclarecida na biografia de Ivone.

Em 2015, entrou para a lista 10 Grandes Mulheres que Marcaram a História do Rio. Dona Ivone Lara foi a maior compositora do samba e da música brasileira. Nenhuma outra mulher teve tantas vozes cantando suas músicas ou gravadas como ela.

Os músicos e grupos de samba interessados em participar do projeto deverão, inicialmente, solicitar o cadastramento pessoalmente ou por e-mail, de segunda a sexta, no horário comercial na sede administrativa da Fundação Cultural na antiga Estação Ferroviária de Varginha, na Praça Matheus Tavares, 121, centro, telefone (35) 3690 2700.

Mais informações na Coordenadoria de Eventos com o Produtor Rosildo Beltrão pelo telefone (35) 3690 2708, ou pelo e-mail: [email protected]

Contato com os músicos
Tuquinha; (35) 9 8835 2927
Email: [email protected]